skip to Main Content
(21) 99186-5884 contato@ina.dot.pro.br
Sobre Envelhecimento, Declínio Cognitivo, Alzheimer E Neurônios

Sobre envelhecimento, declínio cognitivo, Alzheimer e neurônios

🧠O aumento nos casos de demências tem relação direta com o envelhecimento populacional e o estilo de vida, principalmente com o excesso de açúcar e gordura na alimentação e o sedentarismo.
🧠Nós abordaremos 3 artigos diferentes que abordam o envelhecimento populacional sob diferentes aspectos: declínio cognitivo, estilo de vida e neurônios.
🧠Um artigo publicado em julho no JAMA demonstrou que ter um estilo de vida saudável reduz o risco de desenvolvimento da Demência de Alzheimer em até 32% em idosos com alto fator de risco genético.
🧠Por outro lado, o declínio cognitivo tem sido um dos grandes fatores associados ao envelhecimento populacional. O que foi visto recentemente é que durante o envelhecimento as redes neurais associadas com a cognição se tornam mais vulneráveis e menos eficientes na transferência de informação. Os autores monitoraram mudanças funcionais na rede cerebral que afetam habilidades cognitivas específicas, como por exemplo pensamento e ação orientados para um objetivo, e escolher aonde focar a atenção. Conforme a pessoa envelhecia, essas redes associadas à cognição eram menos eficientes na transferência de informação e menos distintas
🧠Esses dados podem ajudar trabalhos futuros que buscam identificar o risco de transtornos associados ao envelhecimento ou a identificar estratégias que podem preservar as funções cognitivas em doenças neurodegenerativas e cerebrovascular, por exemplo.
🧠O último estudo a ser abordado aqui investiga o envelhecimento dos neurônios, e fala sobre a falha na autofagia (eliminação do “lixo”) que ocorre com o envelhecimento da célula. Se esse mecanismo falha, resíduos se acumulam dentro da célula, eventualmente a matando
🧠De acordo com estudo recente, conforme as células envelhecem, a habilidade de lidar com esses resíduos diminui. Os resultados sugerem que a deterioração da autofagia nos neurônios envelhecidos pode ser um fator de risco para doenças neurodegenerativas como Esclerose Lateral Amiotrófica, Alzheimer e Parkinson – o declínio da autofagia torna o neurônio mais vulneral aos riscos genéticos e do ambiente.

👉🏻”Longitudinal Changes in the Cerebral Cortex Functional Organization of Healthy Elderly”. Joanna Su Xian Chong, Kwun Kei Ng, Jesisca Tandi, Chenhao Wang, Jia-Hou Poh, June C. Lo, Michael W.L. Chee and Juan Helen Zhou.
Journal of Neuroscience. doi:10.1523/JNEUROSCI.1451-18.2019 👉🏻”Association of Lifestyle and Genetic Risk With Incidence of Dementia”. Ilianna Lourida, PhD; Eilis Hannon, PhD; Thomas J. Littlejohns, PhD; Kenneth M. Langa, MD, PhD; Elina Hyppönen, PhD; Elżbieta Kuźma, PhD; David J. Llewellyn, PhD.
JAMA. doi:10.1001/jama.2019.9879
👉🏻Expression of WIPI2B counteracts age-related decline in autophagosome biogenesis in neurons”. Andrea KH Stavoe, Pallavi P Gopal, Andrea Gubas, Sharon A Tooze, Erika LF Holzbaur.
eLife. doi:10.7554/eLife.44219

#envelhecimento #decliniocognitivo #demencia #

Back To Top