skip to Main Content
(21) 99186-5884 contato@neurocienciasaplicadas.com.br
Crianças Com Distúrbio Do Espectro Autista E Mutismo Seletivo

Crianças com distúrbio do espectro autista e mutismo seletivo

A Clínica do INA tem um enfoque interdisciplinar e seus profissionais atuam na Avaliação e Reabilitação de indivíduos com mutismo seletivo e/ou TEA.
Ligue e marque uma consulta.
O mutismo seletivo é descrito como um raro transtorno de ansiedade, caracterizado por uma falha consistente em falar em situações sociais específicas e com expectativa de falar, apesar de falar em outras situações (DSM-5). É logo, uma afasia voluntaria, conforme indicou, em 1877, Kussmaul, para sublinhar a conscientização e o livre arbítrio para não falar. O mutismo seletivo está na categoria dos Transtornos de Ansiedade, e isso marca um foco maior nos supostos problemas subjacentes de ansiedade social.
Já o TEA encontra-se no grupo das condições neuropsiquiátricas e do neurodesenvolvimento que têm as dificuldades no envolvimento social e na interação social como sua principal característica diagnóstica e não se confunde com uma ação voluntaria. Como resultado deste problema básico, surgem dificuldades na aprendizagem, organização cognitiva, atenção e habilidades adaptativas.
Foi sugerido que a ansiedade vivenciada por crianças com mutismo seletivo faz com que elas se recusem a falar porque estão “congeladas pelo medo”. Enquanto as com sobreposição com TEA há prevalência da falta de habilidades sociais/interesse social, e essa recusa em falar reflete uma recusa mais obstinada do que timidez.
No estudo realizado por Steffenburg et.al. (2018) destaca o risco de sobreposição entre mutismo seletivo e TEA.
Provavelmente é importante para o grupo de indivíduos que atendem aos critérios de mutismo seletivo e TEA que ambos os diagnósticos sejam considerados. É provável que os princípios de intervenção no TEA (por exemplo, preparação para novos eventos, suporte visual para a estrutura diária e tornar as atividades diárias previsíveis) e o conhecimento dos problemas de comunicação observados no TEA (que sempre inclua prejuízos no uso social da linguagem) são benéficos para o grupo Comórbido mutismo seletivo + TEA. No entanto, não se sabe se o tratamento direcionado ao mutismo seletivo deve ser diferentemente projetado quando o autismo é simultâneo.

Fonte:
Steffenburg, H., Steffenburg, S., Gillberg, C. & Billstedt, E. Children with autism spectrum disorders and selective mutism. Neuropsychiatr. Dis. Treat. 14, 1163–1169 (2018).

Back To Top